Semear favas e ervilhas





A vegetação já se vestiu com as cores do Outono...o Inverno aproxima-se...a terra saciada pela abundancia das chuvas, convida às primeiras sementeiras...favas...ervilhas...ao plantar das couves...brócolos...cebolas..



As favas são um alimento muito saudável e completo, extremamente energético, fonte de próteinas vegetais.
Por esse facto, também utilizadas como complemento na alimentação animal, mulas , burros...cavalos. Ao final de cada dia de trabalho, recebiam uma porção de favas, a chamada "ração de cavalo"



A sua composição nutricional, rica em Molibdénio, Folatos, Potássio,Triptofanos,Manganésio,Magnésio, Ferro,Cobre,Fosforo, vitamina B1e Fibras, atribui a este alimento um papel importante na recuperação de estados físicos de debilitados... convalescencia de doenças infecciosas...situações de anemia e estados de gravidez.

Em secas, eram com frequencia transformadas em farinha.
Colocada num tabuleiro, com canela e acucar amarelo (de cana), consumida depois em papas, adquirindo a forma de um alimento energético  muito revigorante.
A sementeira, feita nos meados de Outubro, princípios de Novembro, não requer muitos mimos.
Devido às suas carateristicas rùsticas, produzem e sobrevivem em solos pobres, bastando basicamente, deita-las à terra, adicionando-lhe um pouco de adubo e aguardar que as mesmas se desenvolvam.


O adubo, pode ser o que estiver à mão, um pouco de Amónio, cinza...Foscamónio, tudo misturado, no entanto, a quantidade de Amónio em relação a outros componentes deve ser reduzida, por exemplo, uma parte, para oito de cinza, por ser muito agressivo quando em contacto directo, correndo o risco de queimar.



O terreno a cultivar, apresentando grande abundância de erva, antes de se preparar a terra, manualmente ou com auxilio de pequena máquina agrícola, com fresa, deve-se eliminar esse excesso, caso contrário vai dificultar o trabalho, enrolando-se na alfaia.



Com a ajuda indespensavel  do "velho motocultivador" , a sementeira, fi-la em regos, distanciados cerca de 40 centímetros, podendo tambem ser feita em pequenas covas...mas como já referi, podem apenas espalhar-se por cima da terra, enterrando-as um pouco, cobrindo-as apenas.

No entanto optei por semeá-las com algum critério , dispondo-as de modo a que depois, se necessário, seja mais fácil a sacha...dar-lhe alguma atenção. Prefiro semear menos e dar-lhe algum cuidado, de modo a obter uma boa produção.




Maio será o mês da colheita.
Lá diz o povo "Maio as dá, Maio as leva", mesmo é dizer que este é o periodo em que se encontram nas condições ideais para serem colhidas, consumidas em verde. Depois disso , começam a ficar rijas, no entanto, durante mais algum tempo, se lhe retirar-mos a pele , ainda é possivel confeciona-las.

Uma vez por semana, procuro as que já se encontram com a vagem cheia, colho-as, descasco-as, dou-lhe um escaldão, cerca de quatro minutos, emersas em água a ferver, posteriormente arrefeço-as em água fria, embalando-as em pequenos sacos de plástico, procedendo á sua congelação.
Conservam-se o ano inteiro.

Se pretender-mos guardá-las para semear no ano seguinte, ou para fazer farinha, temos de as deixar concluir o precesso de maturação, colhendo-as só no Verão, quando já se encontram bem secas.

Aconselho a fazê-lo, pois um quilo de favas secas, oxcila entre três a cinco euros.



ERVILHAS...

As ervilhas pertencem tambem à familia das leguminosas, são ricas em vitamina A, C e do complexo B, assim como Ferro,Calcio, Enxofre e Potássio.
O seu cultivo remota á milhares de anos, com origem na Asia Central e na Europa, possuindo dezenas de variedades.

Cultivam-se basicamente da mesma forma que as favas, embora um pouco mais tarde...finais de Novembro, principios de Dezembro.

Embora resistentes a baixas temperaturas, são mais frageis, sensíveis, carecem de maior atenção.

Começando pela sementeira, o desejável será utilizar uma base de fertelizante organico, estrume e cinza, com a adição de pequena percentagem de adubo quimico de prefundidade existindo tambem o cuidado de não as deixar demasiado enterradas, basta cobri-las.






A escolha de um terreno, "leve" com boa drenagem e exposição solar, é importante. A existencia de uma ou outra árvore, tambem se mostra benéfica, devido à protecção que oferecem, em caso de eventual  queda de geadas.









Consumidas em verde, assim que as vagens se encontrem cheias, podem ser colhidas. Congeladas, podem guardar-se vários meses.
Ou se colocam diretamente no congelador, como costumo fazer, ou escaldadas primeiro, neste caso, cerca de 2 minutos e depois arrefecidas em  água fria.

 
 
Sei que o sistema de envio de mensagens não facilita muito nesse sentido, mas quando me dirijo a vós gostava que tivessem  um nome e não "anónimo"...sempre podem deixar vosso nome, mesmo entrando como anónimo.
Agradeço a todos as felicitações pelo blog. Abraço

81 comentários:

  1. AQUI ESTÁ UM BLOG SUPER INTERESSANTE E DE ENORME UTILIDADE. PARABÉNS E MUITISSIMO OBRIGADO!
    BEM HAJA.

    ResponderEliminar
  2. Gostei,os meus parabéns.

    ResponderEliminar
  3. bem haja estas explicações, é disto k o país precisa. Parabens

    ResponderEliminar
  4. amanha já as meto a terra vai ser cá um faval!!!!!

    ResponderEliminar
  5. fins de outubro vou plantar 5mil metros,como estou desempregado vou comprar 2 bois ,estou a pensar em vender a fava verde ,quando secar fica para os animais ,estou a gostar da vida do campo

    ResponderEliminar
  6. Sim..sim...a noção que tenho é que vende bem em verde e em seco para semente..ronda sempre os 4...5€ kg, a fava é uma cultura garantida, pouco exigente e com boa produção...faz mt bem...e quanto aos bois tbm, é uma otima opção alternativa, poucos custos e disponibilidade de fertilizante natural...avante com a iniciativa..e se está a gostar da vida do campo, acabará por vir a gostar mais ainda. Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Bem haja estas explicações, é disto k o país precisa, muito obrigado e parabéns, eu estava com uma dúvida como semear favas e ervilhas no meu terreno, e foi por aqui que fiquei elucidado mais uma vez muito obrigado.!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  8. Muito bom! Obrigado pela partilha.
    Paulo Santos - Alcanena

    ResponderEliminar
  9. Estou a iniciar uma horta familiar e estas explicações foram bastante úteis. Obrigado!
    Pedro Rodrigues - Matosinhos

    ResponderEliminar
  10. Muito bem, parabéns
    Élio
    Alentejo

    ResponderEliminar
  11. Extraordinário. Numa altura em que, necessariamente, a horticultura pode ser uma mais valia para muitas famílias (é o meu caso), os seus ensinamentos até fazem esquecer, ou relembrar, alguns conhecimentos adquiridos em cursos teóricos virados para o ramo. Bem haja.

    ResponderEliminar
  12. Muitos parabéns, gostei muito, comecei a fazer uma horta pequena, onde já semeei favas, ervilhas, cebolo e tronchas, fiz uma estufa, onde colho também algumas hortaliças, e um galinheiro onde tenho uns frangos e umas galinhas poedeiras, como não percebo grande coisa de agricultura tenho andado a pesquisar e foi dessa maneira que cheguei aqui, mais uma vez os meus parabéns.
    António Coelho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como se faz uma estufa? Muito obrigada

      Eliminar
  13. gostei, assim que possa vou iniciar a minha pequena horta.
    obrigado.

    ResponderEliminar
  14. Bom trabalho e como hobby costumo plantar favas num pequeno terreno no Alentejo onde me desloco varias vezes no ano , pois vivo no Algarve. Um Abraço

    ResponderEliminar
  15. João Pachecco. gostei, assim que possa vou iniciar a minha pequena horta de ervilhas, porque as favas já estão obrigada

    ResponderEliminar
  16. obrigado pela partilha
    já nasceram as favas, agora vou semear as ervilhas, abraço
    alguém sabe se a ervilha tem alguma cultura que se faça próxima e protega aquela, das doenças?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poderá cultivar na proximidade, nesta altura do ano, cenouras, nabos, rabanetes, couve e espinafres. lá mais para a frente, feijão, abóbora e pepino, são todas elas plantas companheiras e de boa vizinhança das ervilhas.
      Hélder
      Setúbal

      Eliminar
  17. já plantei ao todo 11kg mas amanha mais 3kg ,,depois solfato para a erva ,pois perde o meu trabalho i estou a gostar da vida do campo estou um pouco dorido mas e bom s

    ResponderEliminar
  18. Tenha muita atenção com a dosagem a aplicar...basta um pouco a mais, e erva não nasce, mas favas tbm não !

    ResponderEliminar
  19. Antes de semear as favas não é necessário pôr de molho ?

    ResponderEliminar





  20. Amigo Fernando, já ouvi dizer que há quem o faça, para absorverem húmidade, acelerando o processo de germinação, mas na generalidade não há necessidade...nunca observei quem o fizesse...mas se as deixar de molho,um dia ou dois, não tem inconveniente.

    ResponderEliminar
  21. VAMOS LÁ VER QUEM É QUE VAI PAGAR AS FAVAS.

    ResponderEliminar
  22. a mistura de terra muito húmida,com chuva, e as favas de molho durante um dia não é uma boa ideia pois vao apodrecer.

    ResponderEliminar
  23. Amigo Sebastiao.. Sou agricultor de fim de semana.gostava de experimentar plantar batata doce. Por acaso sabe onde posso comprar as plantas? OBRIGADO

    ResponderEliminar
  24. eu gosto muito de ver as verduras na terra por isso fiz um pequeno quintal e tentei semiar dois sucos de favas ja estao com quase dois palmos de altura mas tem otoro um pouco fino axo eu!! gostava de saber se é mormal ,estao ao abrigo da geada a noite tapoas !!!!!! serà que preciso de lhe deitar adubo? RESPONDAM obrigado

    ResponderEliminar
  25. Obrigada pelas dicas são extremamente úteis.
    Estou a iniciar os meus conhecimentos na agricultura. Tudo o que sei é através dos livros.
    Gostaria de saber como fazer um pequeno galinheiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. faça uma parede de ovos e ja esta ! facil

      Eliminar
    2. Faça em papeláo por causa dos ratos, ou em papel vegetal ! E elas assim náo fogem. Jorge cravo

      Eliminar
  26. Caro anónimo...tapar as favas, não me parece necessário e talvez até prejudicial...elas são robustas, aguentam a geada, quanto ao adubo de superficie, tbm não me parece, até porque elas retiram o azoto da água da chuva para se alimentarem...mas ao chover demasiado os terrenos ficam um pouco saturados, podendo atrasar o seu desenvolvimento, e se já for um terreno sombrio, a coisa piora.
    Aconselho, logo que a terra permita, para que não fique em barro, sacha-las, remexe-la...e se elas estão muito debelitadas, faça como diz, adicione um pouco de adubo de superficie, como o sulfato de amónio,ou foscamónio, 10-10-10 , quanto ao primeiro , é necessário cuidado ao aplicar, não pode ficar em contacto com o pé da planta, queima-a... mal não lhe fará.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  27. Amigo Jorge Gomes...a batada-doce, precisa de clima tropical, para a cultivar com algum sucesso terá de construir uma estufa...a temperatura ambiente para que se desenvolvam, ronda os 20 graus.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  28. Amiga Irene, a questão do galinheiro é assunto que oportunamente irei tambem desenvolver,e como coloca a questão, vou tentar ajudar...o desejável, é possuir algum espaço de terreno no quintal, que se possa desponibilizar para esse efeito, delimitando-o com uma rede de arame, ou mesmo plástica com cerca de 1, 20m de altura..não precisa mais..,onde elas possam andar ao ar livre...a esgravatar na terra, comendo ervas..minhocas..caracóis...completando depois a alimentação com um composto á base de cereais, farinha, farelos...couve galega cortada, miudinha...no entanto dentro deste perimetro deve construir uma pequena capoeira, onde elas se vão abrigar, e quando perceber que vão começar a por ovos, deve ajuda-las a construir o ninho, por exemplo, um pequeno alguidar que já não use, com palha..serradura...ou outro material que se mostre adquado.
    Se o espaço for reduzido, então construa só a capoeira coberta...galinheiro...que para 3...4 galinhas, deve ter pelo menos 1,50...2 m de lado, pode usar tijolo..madeira...e na parte da frente, use a rede. O galinheiro deve lhes dar proteção nas intempéries, vento, calor excessivo...mas por outro lado deve ser tambem, o mais aberto possivel.
    Se for possivel, podem andar há solta...ao enoitecer, elas voltam para a capoeira.
    As galinhas vulgares, poedeiras, podem ser adquiridas já adultas, nos mercados, ou lojas de produtos para agricultura...custando cerca de 7€ cada uma, ou em frangas juvenis, custando cerca de 1.50..2 € .
    Espero ter ajudado.

    ResponderEliminar
  29. Boa tarde, vi a sua resposta em relação à aplicação de adubo após sementeira, com a minha experiencia não aconselho um adubo 10-10-10 mas sim um 27 pois nesta altura a fava precisa muito mais de azoto, cuidado também com as chuvas pois vão lixiviar o adubo não o deixando disponível para as favas.
    Em relação ao sacho não se deve sachar com a terra muito húmida nem com plantas com menos de 30cm pois corre o risco de as partir. Neste momento existem alguns herbicidas de contacto que atacam apenas os infestantes é o plano mais seguro a seguir a meu ver.
    No meu caso semeei as favas e passado cerca de um mês (as favas ainda não tinham despontado da terra) apliquei herbicida de contacto e residual de forma a eliminar as actuais pragas e futuras. Neste momento a plantação está sem quaquer erva precisando apenas de uns bons dias de sol para poder ser aplicado o tratamento anti-míldio.
    Bom trabalho e boas colheitas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente errado e negativo o que diz! Por ter tido insucesso, não quer dizer que tenhamos de fazer como o diz erradamente, repito. As favas,assim como a família das leguminosas, nem adubo precisam, agradecem a colocação de cinza, mas nem este é necessário, ela é rústica e dá-se bem nos solos pobres, desde que bem cavados e tenham água durante o seu crescimento. Quanto a sacha, até é melhor ser quando pequenas com um palmo ou dois, pois a nossa mobilidade é melhor e ataca-se as ervas que crescem quando a faveira é pequena. Depois quando grandes e a ganhar grão, até agradecem que o solo já tenha erva, para criar equilíbrio ao nível do solo e não haver tanta perda de água. Normalmente sacho uma ou duas vezes, em anos de muita chuva excepcionalmente três, depois as ervas não causam problema mas passam ajudar. No que toca à doenças, no meu caso ataca lhe muito a ferrugem, mas tento plantar mais espaçado de forma a arejar a cultura e, quando ataca com severidade tiro todas as folhas ate certa altura e pequenos rebentos tardios que a planta dá quando grandes, assim controlo a propagação. Este método é para quem tem algumas boas noções de como funcionam as várias partes das plantas, caso contrário pode vir a prejudicar em vez de ajudar, requere atenção cuidada neste caso por parte do tratador. Pode aplicar enxofre ou a calda bordalesa, mas não há milagres por parte dos produtos, só temos à medidas do que trabalharmos e Deus Celestial nos dá. Há anos que a própria planta aguenta e as doenças não são tão severas mesmo não aplicando nada! Aconteceu-me o ano passado, só produzo em modo biológico, há algumas perdas, mas a recompensa é de melhor qualidade e boa à nossa saúde, também protege o meio ambiente. Se não cuidamos do meio ambiente ao nosso redor, então o prejudicamos, e ele nos dará frutos envenenados que nos prejudicará. Vá, plantem mais espaçado, menos é mais! Já o dizem por aí e o confirmo, as plantas tem melhores condições. Cuidado com os locais muito ventosos, ou locais em que o inverno é impetuoso. Uma sementeira no outono vai bem em certos anos, mas experimentai também uma no inverno ou fim do inverno, entre Dezembro e Fevereiro, tenho tido bons resultados. Agora é preciso estudar, ter bem consciência de como é o comportamento do clima no local a semear, e saber um pouco das características edafo-climáticas que a planta pode agendar ou lhe vai melhor. Falo-vos de V.N.Gaia, aqui as geadas são poucas mas os temporais de vento e chuva causam problemas algo severos nesta cultura em alguns anos! Os locais menos expostos aos ventos predominantes de sudoeste e oeste são bons aqui. Nada como semear em vários meses desde o outono até ao fim do inverno e trabalhar. Semeia com Deus, e colherá bem com Ele. Tudo que é bom pertence ao Criador. Boas colheitas e mãos à obra. Parabéns pelo blog sr. Sebastião, venho a aprender e ilusidar-me varias vezes em pesquisas. Cumprimentos a todos. Bem haja. José

      Eliminar
  30. Caro Milton..errado...errado...errado... para quem não sabe , 10-10-10 , corresponde a adubo com , dez partes de azoto, dez partes, de potássio e dez partes de fósforo...o adubo que refere tem apenas , sete partes de azoto, e a sua aplicação é preferencialmente de profundidade...depois a sacha não tem a ver com humidade da terra, mas sim com o facto da mesma empapar ou não, quando se procede a essa tarefa, o tamanho das plantas em nada tem a ver...o cuidado com as mesmas , sim, muitas vezes acontece haver plantas já desenvolvidas e outras, mais atrasadas, nem da terra sairam...o cuidado aqui tem de ser redobrado...quanto aplicação de herbicidas , e "tratamentos" , desnecessáriamente, como diz , é claramente a atitude de quem não está para se esforçar muito...não será o caminho mais correto, esse, nem substitui a sacha...posso apenas deduzir , que não compreendeu ainda, os seus beneficios. Inundar o solo de produtos quimicos, e contaminar as plantas, sem critério, não é a meu ver o desejável !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vou fazer uma pergunta parva, mas um campo onde raízes de favas estiveram tem fungos necessários para produzir o que as plantas necessitam, sem necessidade de adubos, apenas correctores, nao e esse o ponto das micorrizas? as raizes geralmente preparam p ano seguinte nova colheita, sem necessidade de adubos

      Eliminar
  31. Certo o 27 não é a percentgem de azoto mas sim do nutriente por elas necessárias numa faze mais tardia do seu desenvolvimento ou seja o potássio, quanto aos tratamentos, para mim sao indispensáveis, não possuo tempo nem mão de obra suficiente para sachar ainda por cima tenho as favas semeadas no camalhão e não na cova o que impossiblita o sacho.
    Já agora eu recomendei não sachar com demasiada humidade no solo por duas razões: primeiro vamos estar a estimular a germinação das sementes das ervas e segundo vamos estar a recalcar a terra que muitas das vezes não se desfaz e fica aos torrões não contribuido em nada para o arejamento e escoamento da terra.
    Já agora uma vez que não me esforço nada devo dizer que apenas aplico uma vez herbicida por colheita que é para não me esforçar a aplica-lo mais de uma vez.
    Eu respeito a sua posição agradeço que respeite a minha e não seja agressivo e não tire conclusões precipitadas e depreciativas em relação a mim.

    ResponderEliminar
  32. Amigo Milton...sei do que fala...herbicidas e afins...mas não vamos incentivar ninguem a fazer isso...até porque as favas fácilmente competem com a erva e não deixaram de produzir por estar inundadas da mesma...se não queremos sachar podemos apenas arranca-la..! Memórias de criança , recordam-me, as vastas sementeiras dos meus pais, no interior dos olivais, quase sem fertilizante..sem sacha , herbicida ou o quer que fosse..favas e erva em abundancia, cresciam juntas.
    Por outro lado as favas retiram do ar e da agua da chuva a quase totalidade dos nutrientes que precisam..quando lhe adicionamos fertilizante quimico, elas quase não o reconhecem..nem sabem muito bem que fazer com ele !
    A sacha , sim, é incondicionalmente um beneficio para qualquer cultura.
    Peço desculpa , pelo mau feitio...mas tira-me do sério o incentivo há utilização de herbicidas e outros...sem necessidade absoluta.
    Amigos !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a questao k ninguem fala sao as micorrizas as ervas comuns produzem em quantidades enormes dai n necessitarem de adubos p viverem e crescerem ao lado de faveiras facilmente, eu acho que as favas necessitam de pequenas doses de potassio fosforo e azoto no inicio depois e deixar que as raizes facam sua magia, deixar as raizes no chao de ano p ano cada vez sem menos adubos quimicos, uso de solatos e quimicos p queimar as ervas e contra produtivo, preparacao dos campos tem de ser feito apenas pouco de adubo natural misturado na terra, deixar que terra ique rica com nutrientes minerais de raizes, folhas e adubos naturais, a fava feijao e ervilha sao das que menos necessitam de adubos, eu pessoalmente acredito que com uso de micorrizas o adubo pode ser mesmo evitado,

      Eliminar
  33. Caro colega num terreno que já foi semeado com favas o ano passado precisei de o corrigir, como é óbvio não uso químicos à toa apenas uso quando penso que é necessário. Para reduzir a quantidade de adubo usado uso também estrume mas a meu ver num terreno que sempre foi explorado mesmo que minimamente temos de repôr os nutrientes ou vamos estraga-lo de vez.
    quanto aos herbicidas uso pois possuo alguns terrenos e seria dificil tratar de todos à mão com o tempo que tenho livre do emprego.

    ResponderEliminar
  34. Bemm...a sabedoria do meu pai , diz " O trabalho, é que ensina a gente " Eu compreendo o que diz...mas por vezes cai-mos um pouco no facilitismo dos quimicos.
    Importa que obtenha bons resultados...mas não deixe de considerar que esses produtos são extremamente nocivos para a saúde.

    ResponderEliminar
  35. Caro Sebatião eu entendo mas o que faço nem sempre se encaixa n perfil do blog apenas falei de uma alternativa que eu sei que funciona.
    Já agora as favas que após a germinação tenham de competir com ervas atrasa o seu crescimento e retarda a maturação reduzindo a produção.
    Para ter a noção eu tenho 1ha de favas e só consigo tratar delas nas minhas folgas por isso sim talvez use alguns atalhos até porque assim que parar de chover tenho outro hectare de batatas para semear e como deve saber essas ainda me roubam mais tempo que as favas mas felizmente os dias estão a aumentar.
    Entende o meu maior uso de químicos? Sim agora você diz-me que o objectivo deste blog não é o meu caso mas sou curioso e gosto de ajudar no que posso.

    ResponderEliminar
  36. "Comento" apenas para lhe deixar o meu muito obrigado pelo seu magnífico blog onde tanto tenho aprendido. Bem haja.

    ResponderEliminar
  37. meu nome e gina, e sim sou a favor da produção sem químicos,nao so e bom para a terra como para a nossa saúde tendo os produtos um sabor muito melhor.Obrigada sr. Sebastiao pelos conselhos

    ResponderEliminar
  38. Antonio Agostinho
    Li alguns relatos e suguestões por aqui postados. Tempo pouco espaço para cultivo, mas uso praticamene (0%) de químicos e (esperava) aqui encontrar mais exemplos de "plantas" que substituam alguns dos quimicos.Por exemplo na palantaçao da algace verde intercalo com a rocha, na plantação da couve uso alho frances, que fizem evitar a lagarta e comigo tem resultado quase a 100%. seria exemplos como este que gostaria de ver amis por aqui (não a publicidade aos produtos "Monsanto") pois mesmo as favas nunca utilizei qualquer tipo de fertilizante. a terra quando a tratamos bem dá o que lhe pedimos. Obrigado.

    ResponderEliminar
  39. William
    Muito obrigado pelas dicas. Aqui no Brasil a sementeira se processa no mês de maio, só agora consegui as sementes pois aqui é dificíl encontrá-la. Se puder me auxilie: como conseguí-las para o próximo ano.
    William -30/05/2014
    Campo Limpo Paulista - São Paulo - Brasil

    ResponderEliminar
  40. Amigo António Agostinho...é um pouco como diz , sim. Nomeadamente as favas , em solo mais ou menos fértil, podem-se experimentar semear sem fertilizante. Elas buscam o azoto na água da chuva. Mas temos de considerar que nem todos os terrenos se apresentam minimamente férteis...há terrenos "pobres" que necessitam da adição de algum fertilizante para produzirem.

    ResponderEliminar
  41. Amigo William, o processo mais fácil de obter semente para a proxima sementeira, é deixar alguma quantidade para essa mesma finalidade .
    Deixá-las concluir o processo de maturação até que planta e a vagem fiquem secas. Depois é só colher, debulhar, deixar uns dias ao sol e guardar as favas secas para semear no próximo ano ! Espero ter ajudado, mas se for necessário posso tentar fazer-lhe chegar alguma quantidade.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  42. Ontem semeei as minhas ervilhas. Pergunto as geadas não estragarão a produção?

    ResponderEliminar
  43. Amigo António, as geadas é sempre uma incógnita...vamos esperar que resistam.
    A localização geográfica, tem influencia, a norte é mais complexo, centro e sul, a coisa mostra-se um pouco mais atenuada.
    Se o terreno estiver virado a sul, já é uma mais valia, sempre tem mais hipoteses de apanhar um pouco de sol.
    Boa sorte.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  44. Parabéns pelo blog. Muito interessante e util. Iniciei-me agora na agricultura. Vou consultar muitas vezez o seu blog.Obrigada pela partilha.

    Maria

    ResponderEliminar
  45. Qualquer duvida que lhe surja, estarei disponível para ajudar. Obrigado.

    ResponderEliminar
  46. Muito obrigada. Plantei/semeei favas, ervilhas, alface, couves e alho. Os alhos já vão grandotes, as favas algumas despontaram. Vamos a ver como corre.

    Maria

    ResponderEliminar
  47. Em relação às fases da lua, ouço falar que a sementeira deve ser feita por altura de lua nove. Sabe alguma coisa a esse respeito?

    ResponderEliminar
  48. Amigo, Vitor Vieira..."lua nove" ou lua nova ?
    O que sei, partilho em "Influencia Lunar" .
    No entanto, a lua nova, não é a melhor altura para sementeiras. As favas, pode-as semear em qualquer uma das outras.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  49. Usaram herbicida sem meu consentimento num terreno meu, alguém me sabe dizer daqui a quanto tempo será viável plantar naquele sitio? já li sobre os perigos de elementos vestigiais que são cancerígenos e que ficam durante anos. segundo apurei o nome do produto é udeses ou algo do género. Será seguro voltar a plantar couves e alfaces neste sitio? Obrigado

    ResponderEliminar
  50. Caro, James. herbicidas, não são produtos desejáveis pelas suas carateristícas. O ideal é não os utilizar, mas se alguem os utilizou no seu terreno não entre em pânico por isso. Se foi uma aplicação recente, dependendo do tipo de herbicida o que pode acontecer é as plantas não se desenvolverem e morrerem. Se já passaram alguns meses, como não sabe o nome em concreto do produto aplicado, e das suas carateristicas, experimente plantar algumas alfaces, ou até as couves, sendo muito sensiveis, logo vai perceber pelo seu desenvolvimento se pode ou não cultivar a terra. Quanto aos resíduos, era preferível não existirem, mas não deixe de cultivar o terreno por isso. Mas sim, devemos estar conscientes dos seus malefícios, e evitar a utilização desses produtos, que há semelhança de uma infinidade de outros, nos vão pondo a saúde em causa.

    ResponderEliminar
  51. ola gostaria de saber se alguem estaria interessado em produzir micorrizas apartir de raizes de favas, bamboo, feijao, criar um produto p vendrer no mercado, se alguem estiver interessado comunique comigo zapniks@hotmail.com obrigado

    ResponderEliminar
  52. Sempre que necessário consulto este blog porque o acho muito interessante. No que diz respeito às favas, o ano passado segui o seu conselho e já as estava a apanhar quando começou a aparecer o rabo de raposa.
    Este ano vou utilizar como adubo, somente um pouco de estrume de cavalo curtido.

    ResponderEliminar
  53. A fotografia que se vê na imagem é demonstrativa da maneira com se deve fazer a sementeira de favas. As favas, ervilhas, feijão, devem ser semeados em linhas e separados de forma a que recebam luz e ventilação em redor da planta. Estas plantas se forem semeadas com pouca distância umas das outras, vão ter pouca produção. As favas lançam várias varas e devem ser semeadas com espaços de 40/50 centímetros. As linhas devem ficar separadas no mínimo 80/100 centímetros umas das outras. Se assim proceder vai ver que a produção vai ser elevada. E nas favas não se preocupe muito com a fertilização do solo, a chuva trata disso. Com as ervilhas já tem que fertilizar o solo, opte por fertilizante natural. Se viver perto de uma zona com eucaliptos ou carvalhos, recolhas as folhas secas, são bom fertilizante.

    ResponderEliminar
  54. Olá boa tarde ...muito obrigada pelas informações..não sabia nada de sementeiras e graças á sua ajuda tenho tido boa produção...tanto de favas como de ervilhas este ano acabei de semear favas e a seguir ...novembro semearei ervilhas...MUITO AGRADECIDA...Mª do Ceu

    ResponderEliminar
  55. Obrigado pelas informações amanhã já vou semear ervilhas.
    José.

    ResponderEliminar
  56. Bom dia,alguem me pode dizer como evitar/eliminar o rabo de raposa,praga que ataca com frequencia as favas aqui na minha região?
    obrigado

    ResponderEliminar
  57. Boa noite, alguém sabe pk que a plantação de fava dá flor mas não produz fava ?!

    ResponderEliminar
  58. "AF" não tenha pressa, tem de esperar ate Maio !

    ResponderEliminar
  59. O rabo de raposa é um fungo que vem com a semente, na véspera de semear colocar as favas ou ervilhas numa solução de vinagre, ou lavar as sementes com gasóleo.

    ResponderEliminar
  60. O rabo de raposa é um fungo que vem com a semente, na véspera de semear colocar as favas ou ervilhas numa solução de vinagre, ou lavar as sementes com gasóleo.

    ResponderEliminar
  61. Obrigado Sebastião por me esclarecer quanto á sementeira das favas,fiquei a saber como se semeiam e em que mês.José Pinto

    ResponderEliminar
  62. Obrigado Sebastião por me esclarecer quanto á sementeira das favas,fiquei a saber como se semeiam e em que mês.José Pinto

    ResponderEliminar
  63. Boa noite para combater o rabo de raposa já a uns anos que semeio coentros com fartura no meio das favas da resultado Victor rodrigues loures

    ResponderEliminar
  64. Boas
    Estou a iniciarme na arte da horticultura e este blog está a desempenhar um papel chave neste meu hobby pois tenho aprendido bastante com o que li. Parabéns continue com este excelente trabalho!

    ResponderEliminar
  65. O meu único problema é ter de mudar de sitio todos os anos por causa dos ratos e dos coelhos.

    ResponderEliminar
  66. É conveniente tirar semente desta planta devido ao preço e não só! Ao tirar semente, a planta que vira a surgir, vem com características de adaptação ao solo e até ao clima com o passar dos anos, sendo uma mais valia que os antigos bem faziam. Convém selecionar as melhores faveiras para a semente, as que foram mais resistentes a todo o tipo de coisas por que passaram, as que tem mais grão e de maior tamanho, as que produziram em maior quantidade e mais perto do solo, as que tem forte pé e vários ramos de tamanho e espessura igual. Haveria ainda a periodicidade, mas as mais importantes são as de cima. Estes são os meu conselhos para teres uma boa semente de qualidade.
    De novo, parabéns ao blog sr. Sebastião. Ass: José

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esqueci dizer, vem também com adaptação mais resistentes as doenças também. Agora isto não faz milagre! Mas ajuda bastante ao longo dos anos tirando a semente e escolhendo-a. Ass:José

      Eliminar
  67. No que toca ao afídeos, os pulgões, o controlo deve de ser meramente natural ou biológico​. Quando é atacada aparece também aquela formiga minúscula, aquela que não tem força de mandíbula, nem ferrão, entra frequentemente em nossa casas, essa aí, faz uma associação parasita com o pulgão, sua força está no seu elevado número e versatilidade de habitats. Quando controlas ou resolves o problema de pulgões, indirectamente controlas a formiga, que por sua vez protege o invasor dos seu predadores como a joaninha, outros insectos, e de aves. Aqui pela minha zona, aqueles que não aplicam veneno, incluindo eu, semeamos cedo, em outubro, novembro, e aí crescem, quando vem o pulgão na primavera, as favas estão em flor ou com pequenas vagens. A gente controla manualmente quando é possível, ou então se corta a ponta da faveira, o rebento novo e tenro onde se aloja a maior parte dos pulgões, aí, a planta não sofre mais com este problema. Repito, é preciso que estejam grandes as plantas e o ideal com pequenas vagens, caso senão prejudicará a sua produção. Convém atrair os insectos auxiliares com flores, ter um equilíbrio ambiental na sua horta ou campo. Pode usar insecticida biológico, mas estes também afugentam ou matam os auxiliares do agricultor! Por isso vos recomendo fazerem um preparado natural de extratos de plantas repulsivas de pulgões, um biopesticida. Urtigas de molho durante 24H é um bom repulsivo, coar a água e meter no pulverizador sem mistura de mais água. As quantidades de urtiga/ água, vejam na internet. É um bom insecticida. Se repararem as urtigas nunca ganham pulgão! Por que será, pensem. E as urtigas dão mais ajudas ainda, que nem imagina o hortelão ou agricultor, até é bom como alimento para o homem e animais, pesquisem. Bons trabalhos e boas colheitas. Cumprimentos. Ass: José

    ResponderEliminar
  68. Amigo José, quero agradecer-lhe pela informação que acabou de adicionar ao "Terramanhada" e que de alguma forma contribui para que o mesmo cumpra o seu objetivo. Na verdade as práticas agrícolas não são ciência exata, elas são um somatório de experimentações de observação da natureza ao longo da história da humanidade. Muitas vezes a decisão de se optar por um ou outro modo de cultivo depende de múltiplos fatores. Vou lhe dar um exemplo, imagine que tinha apenas uma área limitada de terreno e pretendia cultiva-la com a maior rentabilidade para que daí consegui-se obter a maior quantidade possível de alimentos para a sua família, sendo que o tempo disponível para dedicar a essa atividade também era restrito. Certamente nesta situação o mais racional será encontrar um equilíbrio entre o "biológico" e o modo rentável de fazer as coisas, mesmo que para isso haja necessidade de introduzir a componente química que utilizada com critério pode ser uma excelente ajuda. No que diz respeito ao cultivo das favas, sim, é verdade o que diz, elas estão aptas a recolher o azoto atmosférico e quase não reconhecem os compostos químicos que lhes possamos adicionar, esta é uma informação que recolhi posterior à edição desse capitulo e que ainda não tive oportunidade de atualizar. Estamos sempre a aprender e ás vezes não quer dizer que o esteja-mos a fazer de forma errado, mas sim, poder ser feito de uma forma mais correta.Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  69. Vi o blog e dou aos meus parabéns pela publicação e pela vontade em cultivar,permita me fazer um comentario hoje em dia devido á exigências na aplicação de fitofarmacêuticos é muito complicado o cultivo em quantidade.

    Lembro me do meu pai e do meu avô cultivar e tratar praticamente sem uso de quimicos hoje em dia é complicado mesmo para plantações em hortas de pequena dimensão, neste momento tenho 15kg de favas 2kg de ervilhas e cerca de 80kg de batatas plantadas em 2 hectares de terreno o que torna complicado conter as pragas sem ajuda de fitofarmacêuticos.

    O uso da calda de urtigas ajuda mas tem alguns factores contrarios,no entanto poderá ser usado fertilizantes de animais como dos porcos que ajuda bastante como adubo,ervas aromaticas para controlo de pragas.

    Mesmo não sendo agricultor na minha area profissional sempre gostei de trabalhar no campo e continuo a fazer no tempo livre e aos fim de semanas mas com as normas e cursos obrigatorios como o caso dos fitofarmacêuticos,Operadores de Máquinas Agrícolas etc impostos pelo Drap vai ser muito complicado no futuro qualquer pequeno agricultor poder cultivar seja o que for no meu caso já ando a pensar em desistir da agricultura não vejo nenhum beneficio dado pelo governo para que o cidadão tenha alguma vontade na criação da pequena agricultura em portugal

    Com Sinceros Cumprimentos.
    Luis Miguel

    ResponderEliminar
  70. Caro Luis Miguel, agradeço-lhe a felicitação pelo blog.
    Quanto há realidade de que fala, quem governa este país minado pela corrupção mais não lhe ocorre que repor a qualquer custo o saldo das contas que os amigos dos amigos entretanto vão depauperando.

    Cumprimentos
    Serafim Carvalho

    ResponderEliminar