Construir um galinheiro...uma capoeira...criar frangos, galinhas, patos, perus...



O galinheiro, ou a capoeira, como também se chama, é parte importante da estrutura de vida auto -suficiente no meio rural.



 Galinhas, patos, perus…fornecem ovos e carne de excelente qualidade.Um ovo, tem equivalência proteica a um bife. 










Da limpeza das capoeiras ainda obtemos o estrume. Depois de retirado, deve ser amontoado em local apropriado, ao ar livre, para que inicie o processo de curtimenta. Sendo bastante forte  depois de curtido, durante alguns meses, deve-se aplicar em quantidades moderadas.

As aves domésticas, tem por base de alimentação tudo o que se produz na horta, principalmente vegetais folhosos.

 O milho, partido ou inteiro, é muito apreciado pelas aves de capoeira.

Depois temos a couve-galega, excelente para alimentação humana e animal. Dos vegetais folhosos é talvez o de maior importância. É uma planta que se desenvolve em altura, adquirindo um caule robusto, com abundância de folhas, e excelentes propriedades nutritivas. O seu ciclo de vida é no mínimo bienal, e produz o ano inteiro. 

Muito apreciada na capoeira e no curral, migada miudinha, misturada com farelos, ou em folhas inteiras, que vão depenicando.

Sempre que se pense em criar animais domésticos para alimentação, deve-se providenciar, uma boa área de plantio desta couve, também conhecida por ” hortos”.


A construção de um galinheiro, depende em parte da área e das condições que temos disponíveis.O principal objetivo, é criar condições, para que vivam o mais livremente possível, ao ar livre, longe do conceito de gaiola de aviário, e ter um abrigo para passarem a noite, protegerem-se das intempéries, e de predadores, como a raposa.

Uma das opções será vedar um espaço com rede, com cerca de 2 metros de altura, 6 metros de largura e 6 de comprimento, e no seu interior construir um abrigo resistente, cerca de 2 m x 1,5m, com um poleiro para pernoitarem e o ninho para porem os ovos, embora por vezes o ignorem, e optem pelos locais mais imprevisíveis.







Os patos adoram chapinhar, agradecem um pequeno lago, um velho alguidar cheio de água, qualquer coisa onde se possam refrescar.





Se o espaço que possuímos for reduzido, então optamos por construir apenas a capoeira, usando uma rede apropriada, na quase totalidade da frente, mantendo uma zona mais resguardada, para se protegerem. 














Se quisermos criar “frangos de carne”, de desenvolvimento mais rápido, que ao fim de dois, três meses, estão aptos a saltar para a panela…em que estamos dispostos a reforçar-lhes a alimentação, então temos de ter outra capoeira, caso contrário, os restantes comem tudo, e se patos houver, pior…nunca estão saciados.

Saliento, que no momento de os comprar deve-se ter alguma perspicácia, tentando escolher os que são galos, apresentam as patas mais desenvolvidas, mais grossas, os machos desenvolvem-se mais, atingem maior peso.

Se tivermos um quintal espaçoso, vedado, podemos solta-las, mas ao anoitecer, nas primeiras vezes, temos de ir procurá-las, agarra-las, leva-las para a capoeira, com o por do sol aninham-se, num qualquer canto para passar a noite. Ao fim de algum tempo já começam a voltar sozinhas.





Existem muitas raças de galinhas, mais ou menos coloridas, mais ou menos encorpadas, com e sem penas no pescoço, no entanto, inicialmente se não pretendemos gastar muito dinheiro, e a intenção é ter ovos de qualidade e carne, então basta ir aos mercados, e comprar umas frangas poedeiras, ou uns “frangos de carne”, brancos ou amarelos, os amarelos demoram mais tempo a crescer, a carne é um pouco mais rija, e de maior sabor, fica ao critério.

De uma forma geral, o preço oscila consoante o seu tamanho…tempo de vida, atualmente, frangos e frangas, quase totalmente cobertos de penas definitivas, rondam 1,50€, sendo que adultas, quase a por ovos, são mais caras, entre 5 a 10 €.

Pintos, ou frangos ainda muito pequenos, são mais baratos, mas não aconselho a comprar, são frágeis, requerem muitos cuidados. No tempo frio, para substituir o calor da mãe, temos de instalar na capoeira uma lâmpada de infravermelhos, que liberta calor para os aquecer, havendo sempre alguns que não sobrevivem.

Quando se opta pela chocadeira elétrica, esta lâmpada é imprescindível para manter quentes os recém-nascidos.

O início da primavera, com temperatura amena, é a melhor altura para iniciar a criação, tempo demasiado quente ou frio, mostra-se adverso. 




Frangos de carne, Abril, para matar em Junho, e Setembro, para matar em Novembro.




Se quisermos optar por uma raça de origem portuguesa, temos a “Pedrês”. O colorido das penas, alterna o branco com o preto, são resistentes a doenças, boas poedeiras, atingem bom peso, e a sua carne é bastante saborosa, não sendo demasiado caras, assim como as de pescoço depenado, que também têm boas referências, no entanto muitas outras há de raças comuns, já cruzadas, que comportam várias cores.

Depois temos patos, perus, faisões… que convivem com as galinhas, amistosamente.

Os pequenos frangos, na maioria das vezes, vêm habituados a uma alimentação muito há base de rações, temos de, pouco a pouco, ir introduzindo os vegetais, o milho partido…uma alimentação mais natural.






Na criação de frangos para carne, embora haja diversas marcas de rações disponíveis no mercado, que lhe estimulam o crescimento, não se deve exagerar das mesmas. Nada como uma alimentação o mais natural possível, couves migadas com farelos, milho, mistura de cereais, e alguma ração, aconselho mesmo, quando estiverem próximos do peso pretendido, deixar de incluir esta na alimentação.


Inicialmente temos de comprar os frangos (as) para criar, mas se desejarmos futuramente, não necessitamos de o fazer.

Tendo um galo na capoeira, para galar as galinhas, é só aproveitar quando alguma se dispõe a chocar, no entanto, isso não acontece com muita regularidade, pelo que normalmente se têm, uma ou duas Coquichas, na capoeira.


São uma raça bastante mais pequena, muito dadas à procriação, chocando com facilidade.  Apesar dessa tendência, não se comportam como “mães galinhas”, logo que ensinem os pequenitos a comer, vão há vida delas, pra junto dos galos, prontas para novo ciclo reprodutivo.






Depois de nos apercebermos que está choca, notando-se pelo volume das penas, que abrem um pouco, começando andar aninhada. Pegamos num cesto de vime, uma caixa de madeira, papelão, ou um alguidar, fazemos um ninho com palha, colocamos lá sete a dez ovos galados, consoante o tamanho dela. Pegamos e levamos para sítio seguro, abrigado, onde não seja perturbada. Por vezes é conveniente tapar com outro cesto, ou outra caixa, quando transportamos de um lado para o outro, para que se mantenha tranquila.

Os próximos vinte dias vai passá-los no ninho, junto ao cesto colocamos comida, quando tiver fome vai comer. Para termos uma noção se os ovos estão fecundados (galados) podemos partir um e observar atentamente a gema, se estiver galado, apresenta uma pintinha de sangue. 

Desta forma podemos perceber se o nosso galo está a cumprir a função. Podendo-se supor que todos os outros o estarão também. Estarem todos galados, só com alguma sorte, pois há sempre um ou outro que se vêm a concluir, não estar.




As patas, tambem se mostram boas procriadoras, com a vatagem de se poder incluir maior numero de ovos, que podem ser de galinha, não podemos é misturá-los por terem um tempo de gestação diferente, 21 dias para as galinhas e 28 para os patos.

Neste período de maternidade, que varia consoante a espécie, algumas das aves não gostam de estranhos na proximidade, as patas, por exemplo ficam agressivas, mordem, e com frequência se lhe mexerem nos ovos, abandonam o ninho. Algumas galinhas também o fazem, deixam o choco, pelo que se deve ter algum cuidado na aproximação.

 

Passados 21 dias, do interior os pintos começam a partir a casca, estão ansiosos por sair. Nesta fase deve-se estar atento e auxilia-los, partindo um bocadinho onde se nota que estão a pica-la, de modo a descobrir-lhe a cabeça, facilitando-lhe a saída, ao mesmo tempo que se pode borrifar os ovos com um pouco de água morna, de modo a humedece-la um pouco.

Recém-nascidos, a minha mãe enchia a boca com um pouco de vinho branco e borrifava-os, diz que os fortalecia.

Depois de nascidos, alimentam-se inicialmente com “migalha” ração para pintos…farelo, e pouco a pouco começam a comer milho partido, do mais miúdo. No seu papel de mãe dedicada, a Coquicha ensina-os a comer.

Por esta altura, é preciso ter cuidado com ratos, gatos, doninhas, cobras… comem-nos!

Em alternativa, também com bons resultados, utiliza-se uma chocadeira elétrica.

Para depenar um frango, uma galinha, ou outra ave de capoeira, mergulha-se em água a ferver, numa panela grande, cerca de cinco segundos, depois retira-se para um alguidar, e começa-se a depenar, voltando a escaldar quando necessário. Este procedimento facilita o arranque das penas.

Para retirar a pele que reveste as patas, escaldam-se de igual forma.




 

22 comentários:

  1. Que maravilha! Belos frangos, galinhas e bons ovos. Ainda hoje comprei galinhas coedeiras, vamos lá ver quando tenho ovos.

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigada por toda a informação! Cumprimentos galináceos!

    ResponderEliminar
  3. Boa e poveitosa aula! Adorei! Julgava eu que dominava tudo sobre galinhas mas, afinal como diria alguem: vivendo e aprendendo. Muito e muito obrigado.

    ResponderEliminar
  4. obrigado pela informaçao, espero em breve meter em pratica tudo o que aprendi aqui, mesmo o vinho branco, abraço

    ResponderEliminar
  5. obrigado pela informaçao, espero em breve meter em pratica tudo o que aprendi aqui, mesmo o vinho branco, abraço

    ResponderEliminar
  6. Amei, tudo simples e de fácil assimilação. Era o q procurava, espero dar certo a experiência com os meus Tonho e Tonha (pintinhos 2m mais ou menos). Obrigada!

    ResponderEliminar
  7. Parabéns pelo blogue e por tudo o que tem feito,tambem tenho a minha horta e varias raças de animais para consumo próprio

    ResponderEliminar
  8. Parabéns pelo blogue e por tudo o que tem feito,tambem tenho a minha horta e varias raças de animais para consumo próprio

    ResponderEliminar
  9. Explicação simples, acompanhada muito bem com fotos. Sinceramente adorei e tanto foi que li tudo, até os comentários. Muitas felicidades e muito obrigado. Só faltou mesmo foi dizer quantas galinhas deve ter um galo, para termos a mínima confiança nos ovos que colocamos para chocar

    ResponderEliminar
  10. Amigo anónimo, é uma questão interessante...vamos lá saber com quantas é que o bicho se aguenta :) Bem, lembro que meus pais, meus avós, teriam entre 6 a 10 galinhas na capoeira e ele não as deixava ficar mal, em qualquer das formas nada impede que tenha mais de um galo por lá, pior que pode acontecer é começarem a bicar-se pelo harém ! :)

    ResponderEliminar
  11. boa tarde , agradecia que me pudessem explicar , eu tenho 4 poedeiras e gostava de saber como irei saber onde elas farão ninho tendo em conta que elas gostam de estar empoleiradas no mais alto e se devo " fecha-las" para que as outras não as incomodem??
    aguardo resposta e um abraço para o pessoal agro-pecuário.

    ResponderEliminar
  12. Boa noite amigo aprendiz. Vamos lá então por a capoeira em ordem...ora bem, não há necessidades de separar as poedeiras das outras, e pelo que entendo andam à solta no quintal, isso a ser possível, é muito bom, fará com que os ovos, sejam realmente diferentes, muito bons, partindo do principio que a alimentação também será o mais natural possível ( couve...restos de hortaliças, cereais, como o milho...aveia,farelo...e claro também alguma ração). Poderá separa-las das outras, mas não vejo qualquer vantagem nisso, "as outras" mais tarde ou mais cedo acabarão também por começar a por, a não ser que sejam de raça especifica para produção de carne, penso que nesse caso faria mais sentido, fechar essas...pelo facto de que normalmente se reforça um pouco a sua alimentação. Quanto a saber onde irão fazer ninho para por os ovos, será uma incognita, tem de estar atento,quando isso acontecer vai encontrar o ninho com os ovos, de qualquer forma convem dar-lhe condições para que isso aconteça, reservar um canto mais ou menos protegido, com alguma palha...aparas de madeira, e esperar que elas optem pelo sitio, na maioria das vezes escolhem outro local...se andarem à solta, também pode acontecer que o ninho surja algures no espaço por onde andam...resta-lhe esperar e ficar um pouco atento, sem preocupação de maior !
    Espero ter ajudado. Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Obrigado pela informação. Tenho vários galos na capoeira, eles juntaram-se e mataram um deles. Isso é normal ?
    Cumprimentos,
    Marcelo.

    ResponderEliminar
  14. Vários galos juntos é o mais provável...não há sossego na capoeira. Se tiver um espaço amplo , não haverá problema, caso contrário pode acontecer isso.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  15. Quero criar galinhas em casa, mas a capoeira fica junto à janela do meu quarto, o que devo fazer? Será prejudicial a minha saúde?

    ResponderEliminar
  16. Boas tardes, muito interessante todo o descrito anteriormente e servira para quando decida definitivamente montar um aviario mas se ue quero um aviario para vender os animais que documentos necessito ou onde posso buscar mais informaçao? muito obrigada,
    Carmen Lozada
    Sao Félix da Marinha

    ResponderEliminar
  17. Boa tarde Carmen.
    Gostaria de poder ajudar, mas como deve compreender a resposta para essas questões terão de ser obtidas no seu país.
    Experimente perguntar nos serviços fiscais...câmara municipal...
    De qualquer forma agradeço o contacto.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  18. Oi gente gostaria que me ajudassem eu nao estou a pesquisar spbre a capoeira de luta, simplesmente e de capoeira de animais, sab essa Internet e burra nao consegue desifrar as palavras

    ResponderEliminar
  19. boa noite,tenho um galo que arranca com as unhas pele das costas das galinhas ,que tenho que fazer ao galo para que isso não possa acontecer?obrigado

    ResponderEliminar
  20. Boa noite, amigo Carlos. Esse não brinca em serviço. Com uma tesoura corte-lhe o bico das unhas. Feliz Natal !

    ResponderEliminar
  21. Boa tarde, gostei do seu post mas estou com MT dúvidas sobre como fazer um dormitório para galinhas que fosse fácil de limpar , pelo que agradeço uma ideia, para 12 galinhas e o máximo 6 perus e não sei mês!O como fazer. Obrigada pela atenção que possa dispensar.

    ResponderEliminar
  22. Boa noite amiga Maria Eduarda.
    Fácil de limpar nunca é :)mas diga-me, quais são as suas duvidas em concreto ?
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar