Aplicação de fertilizantes





 
 

 Para quem pretende fazer uma agricultura o mais natural possível, utilizando o mínimo de produtos químicos, o estrume mostra-se…quase que poderíamos dizer…imprescindível.


De uma forma geral, no meio rural, é fácil de obter…sempre que possível, optar por estrume de animais de pastoreio…na minha opinião, o estrume proveniente da produção intensiva de animais, como por exemplo aviários, vem certamente contaminado com uma vasta quantidade de componentes químicos inerentes a este género de produção.

Em casa, produzimos uma quantidade considerável de resíduos orgânicos, sendo uma boa fonte de fertilizante, basta seleciona-los, e armazena-los em local adequado, onde se desenvolverá o processo de compostagem.
Misturar fertilizantes


 




Nos meios rurais, era comum as pessoas reservarem a própria urina, para irem utilizando, como fertilizante.


A urina, devido à sua composição, nomeadamente, ureia, mostra-se um excelente fertilizante orgânico para canteiros, e para a horta em geral.
 






























 


Nos canteiros, não se pode utilizar simples, mostra-se agressiva para as pequenas plantas, tem de se diluir pelo menos em três partes de água. Nas plantas adultas, meio por meio.

Para aplicar nos canteiros, pode-se improvisar um pequeno regador aproveitando uma garrafa de refrigerante, furando-se a tampa e enfiando um pequeno tubo que permite regar junto ao solo sem molhar as folhas. Rega-se com esta mistura, sempre que necessário.

Na horta, também se pode misturar com a cinza e o estrume, e aplicar em profundidade.

O estrume não deve ser utilizado “cru”… o ideal será deixa-lo alguns meses a curtir.

Se não for oportuno, deve-se evitar colocar as sementes em contato com o mesmo, como faço muitas vezes. cobrindo-o, com um pouco de terra, ou ter o cuidado de colocar a sementes nos espaços intercalares.

Esta questão prende-se pela possibilidade de o mesmo entrar em curtimenta…é como se "começasse a arder"…podendo danificar as sementes ou as raízes das plantas.


 
Plantar, afastado do fertilizante




Além do estrume, temos a possibilidade de adicionar outro importante fertilizante orgânico -cinza

 

Proveniente da queima de resíduos florestais, ramos de árvores…silvas…ervas…é extremamente rica em Azoto…não sendo tão rica, se for proveniente de lenha seca das lareiras.

Nos resíduos verdes…o Azoto, aquando a queima, fica retido nas cinzas.


Depois da chama extinta, no interior a combustão lenta vai manter-se 24 a 48 horas e só depois é possível a sua recolha. Ao tentar faze-lo antes, vamos-mos deparar com carvões incandescentes.

 

Estrume e cinza, talvez já fossem suficientes…mas podemos reforçar este composto com algum fertilizante químico de modo a garantir uma produção mais satisfatória.

No entanto, devemos ter em conta que a adição destes produtos deve ser feita com moderação de forma criteriosa, para que os alimentos obtidos sejam o mais saudável possível.

 

Ao fertilizante orgânico (sempre em maior quantidade…quanto mais melhor) adiciono alguma quantidade de Amónio - sulfato de amónio- composto por azoto e enxofre, (aspeto de sal fino) e Foskamónio (granulado) composto maioritariamente, por Azoto, Potássio e Fósforo, designado por fertilizante 10-10-10, em que o "10" representa a percentagem de cada elemento.

Normalmente utiliza mais ou menos (o cuidado acrescido, deve ser com o amónio, é corrosivo…não adicionar em exagero) seis partes de estrume, duas a três de cinza, uma de foskamónio e meia de amónio.

O composto obtido vai ao encontro das necessidades básicas da maioria das plantas hortícolas, que podemos cultivar.

Na adubação de superfície, o Amónio, aplicado em pequenas quantidades, mostra-se um excelente estimulante ao desenvolvimento das plantas, afastado sempre, cerca de dez a quinze centímetros do caule das mesmas, exigindo uma posterior rega se entretanto não chover, pelo que a sua aplicação é mais adequada em tempo húmido…de chuva.

No mercado podemos encontrar outros produtos, no entanto este é o mais económico com resultados muito satisfatórios.

 De uma forma geral, verifica-se isso mesmo, existe uma enorme variedade de produtos, mais ou menos complexos, específicos para cada cultura, mas de preço significativamente mais elevado, que podemos evitar, este cocktail de fertilizantes, que acabei de referir, tem ótimos resultados…pode ser utilizado de forma generalizada, em qualquer cultivo, com a mais-valia de se mostrar um produto económico de concentração química moderada. Independentemente da nossa opção, disponibilidade, deve-mos sempre que nos for possível, optar por uma base de fertilizantes orgânicos, completando-a com uma parte mais reduzida, de fertilizantes químicos.

 
É de prever, que ao dirigirmo-nos a uma loja de produtos agropecuários, sejamos confrontados com uma série de sugestões por parte do vendedor.
De forma comercial, apresentará as características, vantagens, de cada produto, com o objetivo da sua comercialização…no entanto relembro, são produtos na maioria das vezes bastante mais caros, que podemos evitar.
Nestes estabelecimentos, também encontramos os produtos que referi…assim como fertilizantes orgânicos, que podemos adquirir e lotear.

 

Devemos ter sempre presente, que independentemente do produto químico a utilizar, não se deve, nunca, aplica-lo em contato direto com a planta ou semente.

 

Boas colheitas…!

20 comentários:

  1. caro amigo, gostei muito do seu blog, fiquei a aprender umas coisas - de "negativo" só tenho a apontar a introdução de quimicos - garranto-lhe que tenho produções fantásticas sem a aplicação de quaisquer quimicos - utilizo estrume, composto e cinzas e um pouco de cal - mais nada e a minha terra tudo dá sem maiores necessidares, experimente a fazer o mesmo e veja se realmente a sua também não se comporta assim,
    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço a sugestão que me parece interessante e não custa nada fazer a experiencia...sendo um estrume de qualidade,de compostos organicos vegetais e animais, sem contaminações, bem curtido, possivelmente com a adição de alguma cal... o efeito surpreende-nos.

      Abraço

      Eliminar
    2. Quais as quantidades de cal ?

      Eliminar
  2. Um Blog maravilhoso. Parabéns pela iniciativa.
    Um Abraço,
    Ferreira

    ResponderEliminar
  3. Pena que use químicos, acaba por ser tudo menos interessante! Além de não ser saudável para quem consome, a terra fica descompensada, mais tarde ou mais cedo... a médio e longo prazo acaba por incentivar o aparecimento de pragas! Espero que aceite o desafio e que continue a partilhar essas experiências
    cumps.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais , agradeço a opinião e a critica construtiva, no entanto a intenção deste blog é acrecentar mais valia, saber, a todas as pessoas que de algum modo, nos mais variados contextos, pretendam iniciar o cultivo de alimentos de forma sustentável,em que muitas vezes os fertilizantes organicos não são suficientes, quer seja pela sua fraca qualidade, quantidade, ou pelas carateristicas dos solos disponiveis, por vezes pobres, necessitando de um complemento de elementos essenciais ao desenvolvimentos das plantas, para corrigir essa carencia.
      Demagogias á parte, quando muitas pessoas já começam a ter necessidade de cultivar os seus alimentos...e com recursos reduzidos...a intenção é que se consiga a melhor produçao possivel, onde os fertilizantes organicos sejam completados com a adição moderada e consciente de fertilizantes quimicos...tendo sempre em concideração a importancia do fator ecónomia.
      Este blog, não pretende ser um registo de "agricultura biológica" mas sim de uma agricultura tradicional, sustentável.
      Relembro...o pai do meu pai...as parelhas de mulas que vigorosamente arrastavam o arado...rasgando a terra...onde seria feita a sementeira do milho...das batatas...com estrume...e amónio!
      Cumprimentos.

      Eliminar
    2. Obrigada pela resposta esclarecedora. Entendo a importância da agricultura tradicional aliás o meu interesse pela "agricultura biológica" deriva precisamente do gosto pela agricultura tradicional, porque a verdadeira agricultura tradicional era, sem dúvida biológica! Talvez por isso não a entenda como uma moda (sim, estou ciente da moda e da "demagogia" em torno do conceito) mas antes; como uma herança cultural que não se deve perder, como o reavivar de todo o conhecimento do pai do pai do pai; como o reavivar da agricultura tradicional. Não tenho hábito de intervirem blogs, ou de lançar a confusão e nem considere o meu comentário como uma ameaça ao que escreve, até porque acho que o que escreve tem muito valor na preservação dessa herança de que falo. Apenas referi que "era pena que use químico" apenas porque encaro o uso dos químicos como a parte esquecida da agricultura tradicional milenar, aquela parte em que não encontramos hoje solução a não ser a contornar a natureza com invenções. E esses problemas, em parte já surgiram e foram remediados, com sabedoria por processos tradicionais/naturais. Digo em parte, porque não há bela sem senão, a nossa invenção dos químicos (por mais diminuta que seja) tem consequências: novas pragas e moléstia cada vez mais resistentes. Mesmo assim, esclareço que existem hoje processos biológicos e naturais (resultantes de pesquisas atuais) que resolvem algumas delas... pode sair um pouco mais caro a curto prazo, mas a médio e longo (até a terra estar restabelecida) acabam por revelar-se compensadoras. Ainda assim, prefiro, sempre que possível usar métodos antigos. Por isso demagogias à parte, sou um defensor da verdadeira agricultura tradicional (milenular).
      Aproveito ainda, para fazer um reparo: há processos naturais de compensação do solo, não necessariamente caros, nomeadamente plantando determinadas espécies de plantas que vão colmatar essas carências. Talvez os resultados não sejam tão rápidos, mas com certeza seguem o ritmo da natureza e a longo prazo são mais sustentáveis.
      Cumps.

      Eliminar
    3. Se não tivéssemos descoberto os químicos, o mundo nunca teria alcançado o nível abastado da actualidade. Concordo que deve-se evitar o abuso de produtos químicos,por motivos económicos i.e evitar o empobrecimento do solo e produtos menos nutritivos. No que toca o evitar doenças das plantas, não vejo outra solução senão utilizar produtos químicos. pois os métodos orgânicos não passam de fantasia e grande parte da produção se estragará se não toda. A moderação sem fanatismos aproveitando os dois métodos poderá resultar em sucesso

      Eliminar
    4. Exactamente, sem as curas vai tudo á vida ! Náo vamos agora trabalhar pro boneco, já basta as entempéries.

      Eliminar
  4. Sei que o sistema de envio de mensagens não facilita muito nesse sentido, mas quando me dirijo a vós gostava que tivessem um nome e não anónimo...sempre podem deixar vosso nome, mesmo entrando como anónimo. Abraço

    ResponderEliminar
  5. experimentem o uso de borras secas de café, muitas plantas gostam delas(caracóis e lesmas parece que não). Quanto aos químicos devem ser usados qb, isto é se possível não usar; comecei a usar produto biológico (adubo folear, inseticida,etc) é um pouco mais caro mas bem melhor para a nossa saúde. Um bom ano agrícola para todos, diamantino

    ResponderEliminar
  6. A agricultura tradicional sem químicos é o que faz sentido para mim. Estrume e cinza era o que os meus familiares mais usavam no adudo da terra. Estava à varios anos sem ser cultivada, e com muitas ervas daninhas, o que tem sido o cabo dos trabalhos para mim. Semeei centeio e deixei cerca de trinta por cento do terreno para as batatas e horta.
    Sem químicos, vou ver, se as sementeiras, se irão desenvolver.
    Já aprendi aqui no blog, que as minhocas, ao contrario do que eu pensava não é mau de todo. Tambem, fiquei a saber que o estrume se pode deitar por cima da sementeira.
    Maria

    ResponderEliminar
  7. Sou morador do litoral do RS, e moro uns 800 mts, do mar, tenho uma horta que não me deicha sem saladas o ano todo ,
    quando tenho que por adubo na areia, eu ponho esterco moido , é a unica forma d eo esterco encorporar na areia o meu unico problema é que a areia consome a agua ´com facilidade o que me faz pedir ajuda pois não sei como resolver, me ajudem obrigado.

    ResponderEliminar
  8. Bom dia gostava de saber o que os terrenos do meu pai necessitam mas cria utilizar materia organica natural como e que eu analizo a materia organica para saber se e o que a terra necessita.

    ResponderEliminar
  9. Caro anónimo, a forma como expõe a sua questão não é muito clara...pergunto, que tipo de cultura pretende fazer ou já existe nesses terrenos, como olival, vinha..árvores de fruto !? De uma forma geral a adição generosa de estrume com qualidade, alguma cinza se houver disponível...e até urina, como exemplifiquei...mostra-se suficiente para a maioria das culturas a fazer na horta, onde se pretender poderá completar com uma pequena quantidade de adubo químico, sem necessidade de qualquer análise. Sei que não é fácil obter este produto de excelência , mas nos meios rurais ainda se vai encontrando, proveniente da criação de animais domésticos, pastoreio. Depois de retirado dos currais, antes de ser aplicado, deve ficar amontoado a curtir durante alguns meses, três...quatro , ou mais , pois o seu prazo de validade não expira.
    Quanto ao que se pode adquirir comercialmente , tenho as minhas duvidas em relação há sua proveniência, qualidade, antevendo-se a contaminação pelos medicamentos e afins, utilizados na produção animal intensiva, que passam assim para a cadeia alimentar.
    No entanto, se pretende fazer uma agricultura comercial, intensiva aí sim vai ter de fazer análises ao terreno, para conhecer as suas características, carências nutritivas, para que possa optar pelos fertilizantes mais adequados que serão certamente de origem química. Espero de alguma forma ter ajudado, estarei ao dispor para qualquer outra duvida.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas, tenho uma plantação de mirtilo e groselha. Pretendo no inicio da primavera fazer uma incorporação de matéria organica nas linhas, com o objectivo para além do mais de tornar a terra mais porosa aumentando assim a oxigenação e descompactar. No entanto, tem-me dito que não devo aplicar estrume de animais ( aviários, etc). Tenho um amigo que fez compostagem já com 2 anos em que utilizou resíduos florestais, lamas de uma etar e algum estrume de aviário. A minha dúvida é se , apesar de estar tudo muito bem compostado, poderia utilizar com segurança este composto. A minha reserva prende-se apenas com o estrume de aviário.
      Obrigado por qualquer ajuda.

      Eliminar
  10. e o que me dizem da calda Bordalesa, tenho vindo aplicar e venho a colher "frutos" desta que para mim foi uma novidade...têm comentários?
    Já agora muito obrigado pelo blog vou ser seguidor, sou novato nesta "horta"

    ResponderEliminar